Quatro cidades do Brasil adotam alimentação 100% vegetariana nas escolas públicas

“Escola Sustentável” é o nome do projeto lançado em parceria com a organização não governamental HSI (Humane Society Internacional) que está levando alimentação vegetariana para mais de 30.000 estudantesA iniciativa foi lançada no país devido à crescente conscientização do impacto ambiental da produção de carne, assim como o efeito negativo que ela pode ter sobre a saúde humana.

Para ajudar na transição, a HSI tem trabalhado com as escolas participantes, ministrando aulas de treinamento culinário para a equipe dos refeitórios, através de trabalho liderado pelo chef da organização, André Vieland. A cada semestre, 25% das carnes, laticínios e ovos serão cortados até que os ingredientes servidos sejam totalmente veganos, nutritivos e produzidos localmente nas fazendas mais próximas.

Para ajudar na transição, a HSI tem trabalhado com as escolas participantes, ministrando aulas de treinamento culinário para a equipe dos refeitórios, através de trabalho liderado pelo chef da organização, André Vieland. A cada semestre, 25% das carnes, laticínios e ovos serão cortados até que os ingredientes servidos sejam totalmente veganos, nutritivos e produzidos localmente nas fazendas mais próximas.

Esse projeto marca um acontecimento histórico e um grande avanço para a causa animal — pela primeira vez uma escola pública se comprometeu a ter refeições exclusivamente vegetarianas.

Refeições escolares nessas cidades normalmente contém proteínas animais como carne bovina, cordeiro, frango, peixe, ovos, leite e manteiga. Com o novo programa experimental de dois anos, os almoços incluirão soja, leite de arroz, manteiga de amendoim, vegetais, raízes, grãos e pães integrais.

A implementação definitiva do programa dependerá dos resultados de testes de saúde realizados pelos estudantes após o período experimental. Os alunos serão submetidos a exames de sangue periódicos para controlar ferritina, vitamina B12, colesterol total, triglicérides e níveis de glicose no sangue. Peso, altura e composição corporal também serão medidos.

A missão da Escola Sustentável é melhorar a saúde dos alunos e economizar recursos ambientais (principalmente o consumo de água) e financeiros, além de capacitar os agricultores locais que poderão abastecer os distritos escolares com alimentos à base de vegetais. O projeto atinge 30.000 estudantes e servirá mais de 23 milhões de refeições por ano.