Tecnologia de determinação do sexo no ovo pode evitar a morte de milhões de pintinhos

Você sabia que aproximadamente 8 bilhões de pintinhos machos nascidos na indústria de ovos são sacrificados anualmente em todo o mundo?

Esses filhotes machos são considerados inúteis porque não podem pôr ovos e, ao mesmo tempo, não podem ser usados para o consumo de carne, já que têm uma linhagem genética diferente das aves criadas para a produção de carne de frangos e não crescem rápido o suficiente. Por esse motivo, eles são triturados vivos um dia após o nascimento, sem qualquer forma de anestesia ou atordoamento prévio.

Só no Brasil, são mais de 7 milhões de pintinhos machos mortos poucas horas após o nascimento todos os meses. A maioria dos filhotes são triturados vivos ou sufocados em sacos plásticos.

Porém, existem tecnologias no mercado, ou em desenvolvimento, que, se adotadas pela indústria, permitiriam identificar o sexo do embrião antes de sua formação, possibilitando que os óvulos sejam descartados sem que milhões de pintinhos sejam mortos de forma cruel, enquanto estão completamente conscientes.

A tecnologia mais avançada nesse sentido é chamada de tecnologia de determinação do sexo no ovo, que permite identificar o sexo dos filhotes nos primeiros dias de concepção, por meio de um teste que analisa os componentes hormonais dos embriões contidos nos ovos.

A petição da Animal Equality Itália para que o governo italiano faça um compromisso para adotar essa tecnologia já ultrapassou 38 mil assinaturas, e continuaremos lutando para que esse massacre tenha um fim em todo o mundo.

Além de fazer parte dos Protetores de Animais, você também pode ajudar os animais das seguintes formas:

Faça uma doação mensal ou pontual;

Acompanhe o nosso conteúdo nas redes sociais e compartilhe as nossas publicações.

Ajude-nos a lutar por um mundo mais compassivo!