Cães não são considerados animais de consumo na China

Na sequência da recente proibição nacional da China ao consumo de carne de animais silvestres, que foi feita em resposta ao recente surto de COVID-19, o país agora removeu os cães da lista do governo de animais que podem ser explorados para consumo. O anúncio feito em 30 de maio pelo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China está alinhado com outro pronunciamento feito pela China em abril para reclassificar os cães como animais de companhia, e não como animais de consumo.

OS DETALHES: embora essa notícia não signifique uma proibição total do consumo de carne de cachorro, a distinção agora é que proíbe a venda de cães vivos e carne de cachorro para consumo, essencialmente tornando ilegal para restaurantes, mercados e matadouros da China oferecer carne de cachorro. Essa proteção também se estende aos gatos, que nunca estiveram na lista de animais e segue um anúncio similar das cidades chinesas de Shenzhen e Zhuhai, que foram os primeiros na China a proibir oficialmente o consumo de carne de gato e cachorro.

UMA INDÚSTRIA CONTROVERSA: esse desenvolvimento ocorre em um momento muito oportuno – o Festival de Yulin está programado para começar em apenas algumas semanas. Não está claro como a nova classificação afetará o festival, mas certamente envia uma forte mensagem à indústria de carne de cachorro de que a China não sanciona mais a brutalidade e crueldade do comércio de carne de cachorro. O festival é notório pelo massacre violento de cães, onde os animais são cruelmente abatidos, com muitos espancados e mortos enquanto ainda conscientes. Segundo estimativas, 10 milhões de cães e 4 milhões de gatos são mortos na China todos os anos para consumo. E a OMS alertou que o comércio de carne de cachorro espalha raiva e aumenta o risco de cólera, fornecendo mais evidências do papel da pecuária na propagação de doenças zoonóticas.

“Com o progresso dos tempos, as ideias da civilização e os hábitos alimentares das pessoas estão mudando constantemente, e alguns costumes tradicionais sobre cães também mudam.”

Porta-voz do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China.

O QUE VOCÊ PODE FAZER: a Animal Equality vem fazendo campanha contra o comércio de carne de cães e gatos, e lançamos nossa primeira investigação sobre a indústria em 2013. No entanto, ainda há muito mais trabalho a ser feito e, como mencionamos, essa nova classificação de cães na China não proíbe seu consumo em todo o país. Muitos animais, além de cães e gatos, ainda sofrem em fazendas abusivas na China e em todo o mundo. É hora de avançarmos para uma nova normalidade, onde todos os animais sejam respeitados e protegidos.

FAÇA A DIFERENÇA PARA OS ANIMAIS – JUNTE-SE AOS PROTETORES ANIMAIS!