Esgotamos os recursos do planeta para 2020

Hoje, dia 22 de agosto, já usamos mais recursos naturais do que o planeta pode regenerar em um período de um ano.

A humanidade esgotou o estoque de recursos naturais para o ano inteiro, de acordo com a Global Footprint Network, uma organização internacional de pesquisa, sediada nos Estados Unidos, Bélgica e Suíça. Isso significa que os seres humanos estão utilizando os recursos da natureza muito mais rápido do que o nosso planeta tem capacidade de regenerar. Essa data é chamada Dia da Sobrecarga da Terra e ela vem acontecendo cada vez mais cedo. 

Desde 1970, o déficit ecológico estava crescendo de forma constante. Ano passado, o Dia da Sobrecarga da Terra ocorreu no dia 29 de julho. Mas em 2020, por conta do surto pandêmico da Covid-19, houve uma paralisação geral da economia global e o Dia da Sobrecarga vai ocorrer mais tarde, em 22 de agosto. De qualquer forma, dados de pesquisas mostram que, se continuarmos nesse caminho, antes da metade do século já teremos atingido uma demanda de recursos equivalente a dois planetas.

Não é apenas a vida do planeta que está em jogo. Um estudo publicado em 2015 na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) alerta que o mundo está passando por uma era de extinção em massa sem paralelos desde o desaparecimento dos dinossauros, há 66 milhões de anos. Essa seria a sexta extinção em massa desde o surgimento do Planeta Terra, 500 milhões de anos atrás. Segundo o estudo, o motivo“são problemas ambientais globais causados pelo homem”. A pesquisa, uma das mais completas já feitas sobre o tema, foi feita por cientistas da Universidade de Stanford e da Universidade Nacional Autônoma do México.

Estamos criando uma dívida com o meio ambiente e a natureza irá nos cobrar juros altíssimos. Escassez de alimentos, erosão do solo, acúmulo de gases de efeito estufa e outras pandemias serão cada vez mais comuns no século XXI.

Mas ainda há tempo de evitar as consequências mais drásticas. Dos recursos naturais que temos, 60% estão vinculados à capacidade da natureza de reabsorver o CO² que emitimos na atmosfera. De todos os gases emitidos, 30% estão relacionados à produção de comida, enquanto a soma de todos os meios de transportes emitem somente 18,5%. 

Em relação à pegada hídrica, são necessários 16 mil litros de água para produzir um quilo de carne, enquanto são necessários apenas 5 mil litros de água para produzir um quilo de lentilhas, 4 mil para produzir grão de bico e 2 mil para produzir soja. Todas essas opções de proteínas baseadas em plantas são melhores em termos de economia de água do que comer qualquer tipo de carne.

Ou seja, repensar a nossa alimentação e adotar um estilo de vida mais consciente é a forma mais eficaz de reduzir o nosso impacto negativo no meio ambiente e a nossa pegada de carbono.

Faça sua parte para garantir o futuro do planeta e de toda biodiversidade na Terra: reduza seu consumo de alimentos de origem animal.